Estudo que disserta sobre o conceito de Criação de Valor Partilhado (CVP), proposto pelos autores Porter e Kramer (Harvard, 2011) e que se distingue do conceito tradicional de RSE por apresentar uma relação direta entre a criação de valor económico e social.

A investigação procurou saber junto de 44 microempresas empresas, de quatro setores de atividade (serviços, comércio, indústria e educação), da Área Metropolitana do Porto (sediadas no Porto, Maia e Vila Nova de Gaia), se o conceito de CVP é reconhecido e aplicado no contexto das empresas participantes do estudo e a determinação das razões que as levam a adotá-lo.

Para a maioria das empresas participantes do estudo (90%) o conceito de CVP é desconhecido, no entanto, houve relatos do desenvolvimento de ações de RSE por parte de empresas sem que as mesmas as relacionem com a criação de valor económico (aumento de lucro). Cerca de 77% das empresas inquiridas referiu ser socialmente responsável, por disponibilizar planos de saúde, segurança e apoio social aos/às trabalhadores/as; 68% adquirir tecnologias mais eficientes; 39% disponibilizar informação e rótulos sobre os seus produtos e serviços e 20% apoiar projetos da comunidade local.

O estudo ainda apurou os fatores que motivam as empresas a implementar a RSE, como a agregação de valor à imagem, a angariação de clientes, o aumento da credibilidade, da confiança e das vendas, que reafirma, o desconhecimento da maior das empresas participantes acerca do conceito de CVP e a sua mais valia para a criação de valor económico.

link

0/5 (0 Reviews)