Estudo desenvolvido com o objetivo de avaliar as motivações de 93 colaboradores/as para a competitividade, de diferentes empresas das zonas norte, centro e sul do país, com as funções de administradores/as, de diretores/as, de gestão e chefes de equipa, relacionando com os conceitos de ética e responsabilidade social.

O autor integra neste estudo os conceitos de ética e de responsabilidade social para demonstrar que, se as empresas focarem a sua atuação nestes dois princípios, estarão em melhor posição de alcançarem a qualidade.

A ética é a base da responsabilidade social e expressa-se através dos princípios e valores adotados pela empresa para fomentar a colaboração entre todos, desde os/as funcionários/as aos cargos de chefia.

Os resultados obtidos sugerem que as empresas nas quais os sujeitos da amostra exercem funções, promovem reais motivações para a competitividade, tendo em conta: a preocupação, a comunicação, o consenso, o compromisso, o controlo, a criatividade, a contribuição e a cooperação, ou seja, incorporando princípios de ética e de responsabilidade social para a criação de competitividade.