No que concerne ao debate sobre a adaptação do sistema das Nações Unidas aos desafios inerentes à Agenda 2030, Portugal teve uma posição ativa na     integração de uma forte dimensão de Direitos Humanos e de combate às desigualdades,  com particular  atenção para as questões  da igualdade  de género. Portugal materializa nos ODS 4, 5, 9, 10, 13 e 14 as suas prioridades estratégicas na implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

De entre as várias estratégias  de atuação  definidas,  destaca-se  o ODS 5 – Promoção  da Igualdade de Género, nomeadamente a Agenda para a Igualdade no Mercado de Trabalho e nas Empresas, no contexto da concertação social e do diálogo tripartido (Governo, patronato, sindicatos) que adota uma abordagem estrutural de combate às desigualdades entre mulheres  e homens,  incidindo  estrategicamente  sobre as disparidades  salariais;  a segregação ocupacional; a parentalidade; a conciliação da vida pessoal, familiar e profissional, e a paridade nos cargos de decisão.